Saiba agora o que é necessário para se ter energia solar residencial

O modelo de energia solar residencial beneficia consumidores e o próprio sistema elétrico, que geralmente é sobrecarregado. No Brasil, ela é regulamentada pela normativa 482 de 2012 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), e foi só a partir dela que essa fonte energética começou a se desenvolver em nosso país.

Essa normatização possibilita que a energia solar seja instalada diminuindo o uso da rede elétrica. Essa prática é nomeada como sistema de compensação de créditos de energia. Ainda que em nosso país esse modelo represente uma parcela pequena da distribuição energética, em 2020 esse mercado cresceu 58% em relação ao ano de 2019.

Pensando nisso, preparamos este artigo com algumas informações sobre esse sistema de energia. Acompanhe a leitura!

O que é energia solar residencial?

Ela acontece por meio da instalação de placas solares e de sistemas de captação de energia fotovoltaica, que garantem uma maior autonomia para as residências e uma economia significativa na conta de luz.

A adesão a esse tipo de geração de energia não é tão difícil quanto parece. Primeiro, temos que compreender os tipos de energia solar disponíveis no mercado. Dessa forma, é possível escolher o melhor modelo para cada propriedade.

Essa energia captada pelos painéis é levada ao inversor solar, responsável por alterar a corrente elétrica de contínua para alternada. Assim, há a compatibilidade com a corrente da residência.

No Brasil, existem três principais sistemas residenciais de energia fotovoltaica, veja a seguir.

On-grid

Esse modelo é o mais popular e tem conexão direta com a rede elétrica. Isso permite que, se a geração de energia solar não for suficiente, a rede elétrica forneça o que faltar para manter a residência em perfeito funcionamento. Além disso, caso haja um excedente na produção de energia, o proprietário do imóvel ganha um desconto em sua conta.

Off-grid

Esse é um sistema autônomo, ou seja, ele não é ligado à rede elétrica, e é muito utilizado em lugares sem cobertura elétrica. As placas instaladas podem armazenar a energia excedente em baterias, isso garante a alimentação enérgica do local em dias chuvosos e durante a noite.

Sistemas híbridos

Caracterizados por estarem ligados à rede de energia e serem capazes de armazenar a geração excedente em baterias. O próprio nome nos fornece uma dica desse sistema; ele abrange características tanto do on-grid quanto do off-grid.

Esse tipo de modelo proporciona mais independência ao usuário e é capaz de fornecer energia mesmo durante a noite. Ele também reduz a conta de luz, já que a demanda da rede elétrica diminui.

Quais são as vantagens desse sistema de energia?

A energia solar residencial traz muitos benefícios, tanto pessoal quanto ambiental, por se tratar de uma fonte limpa, alternativa e sustentável. Algumas vantagens de se ter esse sistema em residências são:

  1. Valorização do imóvel;
  2. Redução na conta de luz;
  3. Fonte sustentável de energia;
  4. Energia limpa e silenciosa;
  5. Instalação rápida;
  6. As placas são resistentes ao tempo;
  7. Pouca manutenção durante sua vida útil;
  8. Proteção contra a inflação no sistema de energia do país;
  9. A energia solar é a mais barata do mundo;
  10. Ocupa pouco espaço;
  11. Equipamentos fotovoltaicos podem ser reciclados.

As desvantagens relacionadas a esse modelo estão no alto custo de aquisição, já que em nosso país há pouco incentivo para o comércio dessa fonte energética.

Quais são os requisitos para a instalação desse modelo?

Agora que já conhecemos um pouco mais sobre essa fonte renovável de energia, algumas condições específicas precisam ser garantidas para que seu projeto fotovoltaico seja eficiente e seguro. Vejamos a seguir.

Orientação do telhado e incidência solar

Os painéis absorvem mais energia solar quando instalados voltados para o Norte, isso em comparação com as orientações Leste e Oeste. Dessa forma, a energia é otimizada, por isso é importante estar atento à disposição do telhado da sua casa.

Caso a instalação não seja possível para o Norte, o indicado é que ela seja direcionada para as direções Nordeste ou Noroeste. A face Sul deve ser evitada porque as perdas de absorção solar são mais significativas.

Além desses fatores, recomenda-se que os painéis sejam fixados com inclinação mínima de 5 graus, pois ajudam no escoamento de água. A inclinação máxima obedece a latitude da cidade. Tudo isso visa otimizar a geração de energia.

Cuidado com sombreamento

A incidência de sombras compromete a eficácia dos painéis, portanto, é importante observar se não há estruturas como edifícios e caixas d’água que causam o sombreamento em seu telhado, assim como a presença de árvores que façam sombras no local de instalação.

Tipos de suporte para fixação das placas

Leva-se em consideração uma boa fixação das placas, isso evita que elas se desprendam em situação de vento e chuva, garantindo um papel importante no desempenho da captação dos raios solares.

Para cada tipo de telha há um jeito de fixar as placas, por exemplo, as telhas de barro. Geralmente, os ganchos feitos de alumínio ou aço galvanizado são fixados na estrutura de madeira do telhado, também, eles possuem formato de “C”, se posicionando no vão das telhas, não sendo necessário furá-las. Diferentemente das coberturas metálicas ou fibrocimentos, nessas a fixação é feita com parafusos e vedadas com selante PU, evitando a infiltração de água.

Cálculo da área ocupada

Para essa etapa, leva-se em consideração o consumo médio de energia da residência e a cidade onde o sistema será instalado. Também é preciso observar a ligação elétrica, se ela é monofásica, bifásica ou trifásica. Tudo isso determina a potência do sistema solar fotovoltaico. A ocupação média é de 6m².

Inversor de frequência

A modulação solar produz energia em forma contínua de corrente, que é convertida em corrente alternada. Essa função é feita pelo inversor de frequência. Esse equipamento é eletrônico, portanto, precisa ficar longe dos raios solares para não gerar um superaquecimento.

Por fim, vimos que a energia solar residencial tem muitas vantagens e que, para instalá-la, é necessário prestar atenção em alguns requisitos importantes, como a orientação e fixação das placas, além do sombreamento existente no telhado. No Brasil, estamos acompanhando um significativo aumento na demanda dessa fonte limpa e sustentável de energia, e esperamos que no futuro ela se torne mais acessível a todos.

Gostou deste conteúdo? Conseguiu compreender um pouco mais sobre a energia solar? Deixe nos comentários o que você pensa sobre esse assunto.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.