Laudo de vistoria: o que é?

Antes de mudar para um novo imóvel, é fundamental avaliar corretamente as condições do local. Assim, é possível evitar o aparecimento de problemas que podem gerar muitos transtornos e prejuízos aos novos moradores. O laudo de vistoria é um documento muito importante e deve ser considerado antes do aluguel de qualquer imóvel.

Esse termo é elaborado para especificar as condições de conservação e manutenção do imóvel, garantindo que o local se encontra em bom estado e diminuindo as chances do surgimento de possíveis problemas na infraestrutura. Essa vistoria é feita pelos profissionais da imobiliária, antes mesmo da entrada dos novos inquilinos no imóvel.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia este post até o fim e confira dicas importantes de como fazer essa vistoria. Acompanhe e boa leitura!

Importância do laudo de vistoria

No Brasil, a Lei do Inquilinato 8245/91 estabelece direitos e deveres de todas as partes nas relações de aluguel, compra e venda de imóveis. Apesar dessa legislação não obrigar a realização da vistoria de entrada, os novos moradores podem exigir que ela seja feita. Isso porque o laudo de vistoria é essencial para evitar transtornos futuros, garantindo que as partes estejam cientes das condições que o imóvel se encontra antes da locação.

Além disso, esse documento é uma forma de respaldar tanto proprietários quanto inquilinos e serve como base para o morador ao final do aluguel. Assim, quando o contrato chega ao fim, uma nova vistoria é feita para garantir que o locatário receberá o imóvel de volta em boas condições. Nesse caso, o laudo de vistoria de entrada é usado como parâmetro. Assim, ao finalizar o contrato de aluguel, o inquilino tem a obrigação de entregar o imóvel nas mesmas condições que foi alugado.

Detalhes que devem constar no laudo de vistoria

O laudo de vistoria deve ter relatos por escrito e boas imagens de todas as partes dos cômodos do imóvel, como paredes, pisos, portas, janelas, instalações elétricas e hidráulicas, além da área externa.

Paredes e teto

O documento deve especificar todas as características das paredes, como o material usado, se são feitas de alvenaria ou madeira e o tipo de pintura usada. É preciso identificar no laudo texturas, avarias, se estão pintadas inteiramente, se a pintura é nova e até se o acabamento é fosco ou brilhoso. Também, é necessário detalhar no documento se existe forro, se é de gesso ou madeira, alvenaria com telhado ou apenas telhado, além de analisar se a superfície apresenta infiltração, mofo ou manchas.

Portas e janelas

No laudo de vistoria deve constar a quantidade de portas em cada cômodo, além do material que é feito cada uma delas e seu estado de conservação. Também, é importante detalhar as condições das maçanetas e fechaduras, dobradiças e batentes. Para as janelas, além da quantidade e do que são feitas, também é preciso descrever a cor, o formato, a pintura e o tipo de cada janela.

Piso

O piso é outro ponto muito importante a ser observado no laudo de vistoria, já que esse revestimento sofre constantemente com as ações do tempo e do atrito, como o contato direto com sapatos e produtos de limpeza. O documento deve conter o tipo de piso, estado de conservação, além de identificar se existem desgastes ou outros danos.

Instalações elétricas

No laudo de vistoria deve constar a quantidade de interruptores e tomadas presentes em cada cômodo e o estado no qual se encontram, bem como cor, material e, quando possível, a marca dos acessórios. Além disso, caso os cômodos tenham suportes para luminárias ou lustres, o profissional deve acrescentar esses detalhes ao relatório.

Dicas de como fazer o laudo de vistoria

Para realização do laudo de vistoria no imóvel alugado é preciso contratar uma imobiliária ou um profissional qualificado, para que tudo seja corretamente documentado com anotações e fotos das áreas externas e internas. Em geral, as imobiliárias já incluem esse serviço, mas caso não tenha, você deve solicitar. Confira algumas dicas:

  • ao receber suas chaves, verifique o estado de conservação do imóvel de acordo com termo de vistoria anterior. Caso haja qualquer divergência, avise a imobiliária em até 15 dias após o recebimento das chaves;
  • na ocupação do imóvel, confira e teste os seguintes itens: registros de água e gás, a chave geral da energia elétrica e se a voltagem da rede elétrica do imóvel é a mesma de seus aparelhos. Além disso, verifique tomadas, válvulas de descarga, fechaduras, torneiras e chuveiros. Caso haja algum problema, reporte para a imobiliária;
  • se for morar em prédios ou condomínios, informe-se com o zelador ou síndico sobre os horários para a colocação do lixo na lixeira do prédio, bem como sobre os procedimentos com o lixo reciclável;
  • ocupação de apartamentos ou conjuntos comerciais: conheça o regulamento interno. Verifique as regras estabelecidas na convenção, nas assembleias gerais do condomínio, no regulamento interno e garanta mais segurança ao negócio. Para obter esses documentos, veja com a sua administradora de condomínios ou com o síndico do seu prédio;
  • mudança e entrega de móveis: evite transtornos e penalidades, antes de agendar sua mudança, avalie o regulamento interno do prédio e se informe sobre datas, horários e procedimentos permitidos;
  • o laudo de vistoria deve ser feito por profissionais de engenharia e arquitetura, os únicos habilitados legalmente para emitir esse tipo de documento;
  • o documento deve ser elaborado na presença de todas as partes envolvidas;
  • o inquilino precisa prestar atenção a todos os detalhes, para ter certeza de que as instalações do imóvel estão mesmo em boas condições. Caso algo esteja errado, é direito do novo morador exigir que o proprietário faça as reformas antes da mudança.

Portanto, o laudo de vistoria é um documento essencial na hora da locação de um imóvel, a fim de registrar informações sobre o estado de conservação do local e evitar transtornos e prejuízos. Por isso, ao encontrar qualquer problema, é fundamental entrar em contato com o responsável pelo imóvel, para que sejam providenciados os reparos necessários antes da mudança. Assim, o inquilino pode finalmente mudar para a casa nova com mais segurança e sem preocupações.

Gostou do post? Comente e compartilhe conosco sua opinião!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.